Sexta-feira, 28 de Março de 2008

II. Um novo começo.

- A minha mãe vai casar-se Rita! Com 39 anos, 20 anos depois de me ter tido, 15 anos depois do seu último namorado... E tu achas normal?!

- Acho! Se eles já namoram há muito mais de um ano e se estao felizes e se amam, porque não?!

- Será que eu sou a única pessoa que está a ver as coisas como devem ser?!

- Não Liana, tu és a única que vê tudo o que é suposto ser rosinha e perfeito a preto e branco! Eu não sei como o Sebastian te atura...

- Eu também não sei como ele me atura. Já lho disse. E perguntei também porque é que ele não me deixa.

-TU FIZESTE O QUÊ?! Liana, nós precisamos de falar...

     Rita, para além de ser a melhor amiga de Liana, era também meia-irmã de Sebastian, que foi adoptado pela família quando tinha 3 anos.

- Liana, o meu irmão adora-te. Ele não é como os namorados que a tua mãe teve, nao é como o teu pai que não conheces, não é como o Rúben!

- Não digas o nome dele! Por favor...

     Sempre que o nome Rúben era pronunciado, ódio tomava conta de Liana... Como Sebastian dizia, so mesmo os seus olhos permaneciam serenos.

- Porquê Liana? Porquê tanto medo? Já é tempo de esqueceres sequer que ele existe e deixares o Sebastian gostar de ti.

- Não é medo! É... é... não quero sofrer outra vez!

     O telemóvel de Rita começou a tocar. Era Sebastian. Tinham combinado almoçarem juntos.

- Liana, o Sebastian vai tratar-te bem se o deixares. Tenho de ir amiga. Xau

- Adeus...

-----------------------------------------------------------------------------------------------

     Sebastian esperava sentado numa mesa na área de restauração do Centro Comercial pela irmã. Rita e Sebastian tentavam almoçar juntos pelo menos uma vez por semana, o que às vezes se tornava uma tarefa difícil porque os dois estavam a tirar cursos diferentes em universidades diferentes.

- Olá maninho!

- Olá maninha! Então como vai a minha Engenheira preferida? 

- Cala-te! - Brincou Rita enquanto se ria. Sebastian estava a tirar Medicina e sempre foi desde pequeno o menino prodígio da família. Isto foi uma razao para alguma inveja da parte de Rita quando eles eram mais novos. Mas agora com 20 anos, Rita tinha um orgulho enorme em ter Sebastian como irmão um ano mais velho.

- Então que vamos almoçar?

- Não sei senhor Doutor, mas deve recomendar-me alguma coisa saudavel não?

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

- Então Sebastian, como vão as coisas com a Liana?

     Os olhos azuis de Sebastian escureceram de imediato. Era um sinal que a irmã reconhecia como sendo tristeza.

- Não sei, não percebo a tua melhor amiga. Mas tu também continuas a não me explicar não é?

- Sebastian, eu já te disse que só não te contei nada porque a Liana pediu-me para não o fazer. Mas eu estou cada vez mais preocupada com ela e acho que se souberes podemos ajudá-la.

- Mas é assim tão grave? É alguma coisa de saúde? O que é que eu posso fazer?

- Calma...

     Rita começou por contar a história da mãe e do pai de Liana. Depois o namorado da mãe quando Liana tinha 5 anos. E depois, Rúben.

- Eles conheceram-se no final do 10º, quando o Rúben foi para a nossa turma... Passaram de amigos a namorados, de namorados a uma obcessão da parte dela. E ele fez dela tudo aquilo que quis. Traiu-a, acabaram, recomeçaram quando ele quis, mais traições, roubou-lhe dinheiro, acabaram e eu convenci-a a nunca mais recomeçarem... E não, nunca mais houve nada. Mas por umas duas vezes depois disso ele obrigou-a a ir para a cama com ele. Eu insisti para ela ir a polícia, mas é claro de que nada iria fazer e so ia piorar as coisas. De repente ele desapareceu, e nunca mais ninguém o viu por aqui. E a Liana também tinha demasiado medo para lhe telefonar, até porque já nada havia entre eles.

     Quando a irmã acabou, Sebastian estava sem palavras. Agora tudo fazia mais sentido. Por causa de um... não, três até, filhos de... enfim... ele não podia ter aquilo que Liana lhe tinha para dar.

- E o que achas que posso fazer?

- Tens de lhe provar que não és igual aos outros. Ela está a começar a perceber isso. Que nem todos são como aqueles três.

- Como assim?

- A mãe dela vai casar-se com o namorado de um ano e meio. Foi um choque para a Liana. Ela e a mãe eram tipo "parceiras" em não deixarem nenhum homem entrar na vida delas. Agora a mãe quebrou a "promessa", e está feliz com a decisão. E a Liana começa a questionar se a ideia que ela tem de vocês rapazes nao estará errada.

- O que achas que posso fazer para a convencer de que gosto mesmo dela?

- Eu vou falar mais com ela. Vou fazer de investigadora privada e vou-te dando dicas. Faz de conta que esta conversa nunca existiu. Mas na minha opinião, ela lá no fundo gosta de ti, mas ainda não se apercebeu disso. Eu vou fazer os possiveis para vos ver juntinhos.

     A conversa já ia tão longa que Sebastian e Rita há muito tinham acabado de almoçar e passeavam pelo centro comercial. Despediram-se e Rita foi estudar para casa, enquanto Sebastian telefonava a Liana. Hoje ia começar uma fase nova na relação deles. Ou assim ele o esperava.

 

sinto-me:

publicado por Do outro lado do oceano às 21:59
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Junho 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13

15
17
18
19
21

22
24
25
26
27
28

29


.posts recentes

. Sonhos, escrita e um alqu...

. Beleza e Inveja . Senhora...

. E lá vão 3...

. Reflexão

. Preciso...

. Gooo Portugal :D

. Shiuu... As paredes não p...

. Mudanças de maré

. Ur so gay! * I kissed...

. Um novo rumo

.arquivos

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

.tags

. todas as tags

.Prémio Magnolium

blogs SAPO

.subscrever feeds